NOBRE, PAULO J. L., PEREIRA, MARIZO V. Nas Pegadas de Burle Marx: Sua Passagem por Natal/RN. In: Paisagem na História - Jardins e Burle Marx no Norte e Nordeste, 2007, Recife. Anais Paisagem na História - Jardins e Burle Marx no Norte e Nordeste. Recife/PE: Laboratório da Paisagem - UFPE/MDU, 2007. p.01 ? 13.

Coordenação: Paulo José Lisboa Nobre; Marizo Vitor Pereira
Período: 2007
Resumo:

(Trabalho apresentado no Evento Paisagem na História - Jardins e Burle Marx no Norte e Nordeste)

Após aprovar seu primeiro Plano Diretor, em 1974, Natal/RN priorizou o planejamento urbano, relegado no período 1950/1960. Em 1978, Luiz Forte Netto desenvolveu o projeto de uma avenida ligando as praias de Ponta Negra e Areia Preta, anexa ao Parque das Dunas, maior unidade de conservação ambiental da cidade. A construção dessa avenida, conhecida como Via Costeira, alvo de contundentes críticas, gerou conflitos, originou movimentos sociais e contribuiu para a definição de uma nova paisagem. Um movimento popular contra a implantação do projeto obteve algumas vitórias, consequentemente algumas alterações. Como resposta às críticas, o Governo Estadual adotou um discurso de dimensão ambiental como justificativa, motivando a contratação de Roberto Burle Marx, em 1979, para a elaboração do projeto paisagístico e de arborização do Parque das Dunas, além do ajardinamento das áreas lindeiras à via, de Mãe Luíza a Ponta Negra. Segundo Itamar de Souza (1999), ?A contratação de Burle Marx, o maior especialista em paisagismo no Brasil, tinha por objetivo político calar a boca dos legítimos e dos pseudo-ecologistas de Natal. E conseguiu!?. Essa afirmação reflete o uso político feito, respaldado no reconhecimento público e na reputação do paisagista. As entrevistas concedidas à mídia local ? principal fonte dos dados coletados ? leva a perceber a preocupação ecológica que norteia todo o seu pensamento. Sua sensibilidade, capaz de diagnosticar, já de início, o potencial paisagístico da área, aponta também as agressões ambientais em curso. O trabalho tem como objetivo registrar a contribuição de Burle Marx na construção da paisagem de Natal. Esquecido e omitido, carente de divulgação, seu trabalho se estendeu a outras áreas da cidade. Como principal resultado, destaca-se o resgate da importância da sua passagem, considerando a disputa política que precedeu sua vinda e o significado de suas idéias enquanto novo paradigma conceitual, fator de transformação da mentalidade local. Palavras-chave: Roberto Burle Marx, Paisagismo em Natal/RN, Espaço Urbano e Paisagem



Download
Últimas notícias
Ana Beatriz Targino apresentou trabalho no eCICT 2018
Yuri Simonini recebe prêmio da UNI-RN
Désio Silva aprovado mestre em Geografia