FLEXOR, Maria Helena; TEIXEIRA, Rubenilson. O sagrado e o profano na cidade colonial setecentista: dois casos de análise numa perspectiva comparada. In: Congreso Iberoamericano de História Urbana, I. Chile, 2016.

Resumo:

Refletir sobre as atribuições de construir espacialidades é disciplinar comportamentos sociais, intrínsecas ao Projeto Colonizador Português, pensado como meta de domínio político e ocupação territorial, constitui o foco deste trabalho, que aborda duas realidades geográficas do Brasil colonial: as capitanias do Rio Grande do Norte e da Bahia, no Nordeste do Brasil. Numa análise circunscrita principalmente ao século XVIII, os autores pretendem descrever aspectos que revelam as especialidades e comportamentos sociais presentes, particularmente, no meio urbano como expressão das relações de poder que se estabelecem entre o religioso e secular, ou entre o sagrado e o profano, a partir de dois casos específicos, Natal, no Rio Grande do Norte e a ex-Aldeia do Espírito Santo, atual Abrantes, na região metropolitana de Salvador, Bahia. Outras localidades, nas referidas capitanias, também podem servir como contraponto à análise das duas localidades. O estudo busca o entendimento sobre a maneira como alguns agentes promoveram determinadas espacialidades e comportamentos sociais de caráter religioso, como as festas e procissões, as quais podem ser aproximadas comparativamente nas duas localidades estudadas, apesar das diferenças existentes entre elas em termos de seus status e função urbana e da composição étnica de deus habitantes, entre outras. O maior interesse do trabalho reside na aproximação que pode ser feita entre as duas localidades, sob o ponto de vista da problemática abordada, revelando aspectos comuns entre elas.


Para acesso ao conteúdo completo: http://media.wix.com/ugd/ea4362_3fe99cb8c2cf45929fa4da421b621b80.pdf


Últimas notícias
Ana Beatriz Targino apresentou trabalho no eCICT 2018
Yuri Simonini recebe prêmio da UNI-RN
Désio Silva aprovado mestre em Geografia